fbpx
Av. Água Branca, 988. Bairro Água Branca . Contagem
31 3010.0300

A negligência com a saúde masculina é um grande fator para que a expectativa de vida dos homens seja de 72 anos, enquanto a das mulheres é de 79 anos. Não existe uma cultura de cuidado com a saúde e o corpo entre os homens. Por exemplo, os homens só começam a procurar um urologista por volta dos 45 anos, o que é um risco uma vez que existem diversas doenças graves que podem acometer o sexo masculino.
Aproveitando a campanha do Novembro Azul, que busca alertar e conscientizar sobre o câncer de próstata, reunimos aqui seis doenças que também estão relacionadas com a saúde masculina e merecem a atenção dos homens.

1 – Tumor de testículo e câncer de pênis
São os dois tipos de câncer mais comum entre os homens de 20 a 40 anos. Mais de 95% dos casos de câncer nos testículos são curáveis, no entanto é aconselhado que todos os homens fiquem atentos ao volume da bolsa escrotal. Ao sinal de qualquer aumento, presença de nódulos ou desconforto ao toque, procure um urologista. O câncer de pênis é um tumor raro que pode surgir no próprio órgão ou apenas na pele que o reveste. Apesar de raro, ele tem cura, porém é importante um diagnóstico precoce. Uma vez que pode ser necessário a realização de cirurgia de remoção dos tecidos afetados, dependendo da extensão do tecido lesionado, pode causar disfunção erétil no paciente. A má higienização pode ser uma porta de entrada para infecções ou doenças que facilitam o surgimento do câncer de pênis.

2 – Doenças Cardiovasculares
Estudos apontam que problemas relacionados ao coração são a causa de 30% das mortes da população brasileira e, a maioria são homens. Por isso, é muito importante que as pessoas do sexo masculino tenham um cuidado maior com a sua saúde cardiovascular. Ir ao médico com mais frequência, manter os exames em dia e ter um estilo de vida mais saudável com a prática de exercícios físicos e cuidado especial com a alimentação, são ótimos métodos de prevenção.

3 – Andropausa
A andropausa se assemelha com a menopausa em mulheres. É a diminuição lenta da testosterona no sangue, que é o hormônio responsável por controlar o desejo sexual, a ereção, a produção de espermatozoides e força dos músculos. Ela surge por volta dos 50 anos e causa sintomas como redução do desejo sexual, perda de massa muscular e alteração de humor. Apesar de ser um processo natural do envelhecimento, a andropausa pode ser controlada por meio da reposição de testosterona com remédios prescritos por um urologista ou endocrinologista.

4 – Câncer de Pele
De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a incidência de câncer de pele entre os homens só tem aumentado. Alguns estudos apontam que isso ocorre devido ao fato de que os homens não têm a mesma rotina de cuidado com a pele (e exposição ao sol) que as mulheres. Entre os sinais de câncer de pele estão: aparecimento de feridas, manchas e pintas irregulares. Ao aparecimento de qualquer um desses sinais, procure um médico especializado imediatamente. É importante que os homens procurem um dermatologista pelo menos uma vez a cada seis meses para um check-up geral da pele.

5 – Disfunção erétil e ejaculação precoce
Pouco se fala sobre a disfunção erétil, mas de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), ela atinge quase 50% dos brasileiros com idades entre 40 e 80 anos. A disfunção erétil se caracteriza pela incapacidade do homem de manter uma ereção. Os tratamentos para esse problema são diversos, pode ser realizado por meio de remédios, injeção e até implantação de prótese. Outro problema muito comum entre os homens. Ocorre quando o homem tem um orgasmo mais cedo do que o esperado em uma relação sexual. Apesar de ser um problema possível de acontecer uma vez ou outra, se for persistente é importante procurar um urologista. Os tratamentos para essa condição são diversos, pode ser realizado com terapia sexual, medicamentos e psicoterapia.

6 – Doenças Musculares
Homens estão mais propensos a lesões e dores musculares. Sabe aquela pelada com os amigos no fim de semana? Ela pode ser prejudicial se não houver constante hidratação e as pausas necessárias. Durante a prática de atividades físicas, é comum que muitos homens não se atentem ao desgaste do corpo e a longo prazo isso pode representar um quadro de fadiga muscular. O uso de equipamento apropriado também é importante na prevenção de acidentes e possíveis luxações e danos aos tendões e ligamentos. Vale também ressaltar que na busca por um físico perfeito, alguns homens exageram nos pesos e séries de repetições na academia, complicando o bom estado das articulações e tendões. Exercícios físicos e atividades recreativas fazem muito bem para nosso organismo, mas ao colocar nosso corpo sob um ritmo tão intenso; sem estar devidamente alimentado e hidratado e ainda sem equipamentos apropriado ou supervisionado por um profissional, expomos nossa saúde ao desgaste muscular.

É essencial que esse tabu acerca do cuidado com a saúde masculina seja quebrado. Nossa sociedade foi construída em cima de um pré-conceito de que todos os homens são fortes e inabaláveis, o que não é verdade. Todos precisamos de cuidado com a nossa saúde, homens e mulheres. Se tratando de cuidado com nossa saúde, todos somos iguais e ninguém é mais frágil que o outro por ser cuidar. Se alimente bem, beba bastante água, pratique exercícios físicos, modere o consumo de bebidas alcoólicas e tenha controle da sua saúde para uma vida plena e feliz.

Deixe seu comentário.